Instituto AMA - Arte e Cultura

EDUCAÇÃO

 

INSTITUTO AMA

 

O Instituto é fruto do trabalho que era desenvolvido por Mestre Aurimar das Rabecas (Aurimar Monteiro de Araújo), hoje falecido, em torno do acolhimento sociocultural, educativo e assistencial de crianças e adolescentes, e, com a valorização da Rabeca, um dos principais bens culturais integrados à manifestação da Marujada de São Benedito de Bragança (PA), fundada em 1798, tombada como Patrimônio Cultural do Estado.

Apesar do trabalho do mestre existir desde 2003, o Instituto AMA só foi legalmente constituído em 2005. Um dos objetivos da instituição é investir na inclusão social e cultural por meio da educação musical, preservando e difundindo as tradições culturais locais. O público atendido abrange crianças, adolescentes e jovens (06 a 30 anos), em situação de vulnerabilidade social e pessoas com deficiência (PDI, PDV e PDF) através de uma parceria com a APAE de Bragança. Desse esforço, ao longo de seus dez anos, contabilizamos 120 jovens capacitados, de vários municípios e regiões, por meio do projeto Oficina de Lutheria; e mais de 2860 crianças e adolescentes atendidos nas oficinas de iniciação musical, de cursos técnicos e práticos de música e outras ações; além da criação de diversos grupos culturais como a primeira Orquestra de Rabecas da Amazônia, a Orquestra de Rabecas Sons do Caeté, o Grupo Rabecas de Bragança, bem como a constituição de Bandas Musicais, como a Banda Sons do Caeté, composta por 82 músicos.

Todo trabalho desenvolvido pelo Instituto AMA foi realizado com recursos provenientes de doações, premiações e parcerias estabelecidas com organizações governamentais e outras instituições sociais, visando sempre à legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência em suas ações.

Apesar de um número expressivo de pessoas atendidas, paralelo à diminuta quantidade de recursos financeiros, o projeto atende gratuitamente seu público alvo, dispondo dignamente a estas pessoas as condições necessárias para se desenvolverem culturalmente e como cidadãos. Como exemplo, no ensino de música os alunos têm aulas específicas para muitos instrumentos musicais, aulas de disciplinas teóricas auxiliares, o instrumento musical, métodos, partituras, dispondo ainda de uma pequena biblioteca, atualmente desativada por falta de recursos econômicos para mantê-la em funcionamento.

O Instituto AMA tem sido muito importante na vida de muitos adolescentes, pois através de seus programas e ações estes futuros jovens são inseridos no mercado de trabalho, dando-lhes oportunidade de competir em igualdade, formando professores, monitores, produtores e gestores de artes. As aptidões de cada indivíduo manifestam-se claramente ao longo do processo de aprendizado. Os estudantes mais talentosos são logo absorvidos como músicos por grupos profissionais e semiprofissionais, e outros, se dedicam ainda a cursos de capacitação que os levem a um futuro profissional nos mais diferentes segmentos do mercado da cultura. Em 2012, 43 destes meninos e meninos foram aprovados em vestibulares de universidades públicas federais, 14 no curso de Música, 04 em Licenciatura Plena em Artes, 03 no curso de Teatro, 07 em História, 11 em Letras e Literatura, 02 em Serviço Social, 02 em Matemática, e muitos outros em cursos de escolas técnicas federais, principalmente para produção cultural e turismo. nomia da UNIVALI, sendo responsável pela disciplina Culinária da Amazônia. No final do ano, pré-lançou em Balneário Camboriú o Festival Amazônia África Brasil com seus alunos, os quais foram em excursão gastronômica com o Chef para o Estado Pará, onde além de conhecerem alguns dos mistérios desta culinária, também realizaram, sob os cuidados do Chef, o lançamento do Festival mencionado anteriormente. Em outubro de 2008 foi uma das principais atrações do evento internacional do Slow Food na Itália, o Terra Madre, sendo também escolhido para coordenar o evento nacional do movimento no Brasil.

Em seguida foi para Portugal, onde se apresentou no Douro, no restaurante DOC, em parceria com o Chef Rui Paula promovendo uma fusão entre a culinária da Amazônia e do Douro. Em 2009 destacou-se por realizar o segundo intercâmbio de alunos de gastronomia da UNIVALI, que vindos de Santa Catarina ficaram 15 dias no Pará para conhecerem os segredos da gastronomia local, culminando com a realização de um evento no Parque dos Igarapés.

profissionais e semiprofissionais, e outros, se dedicam ainda a cursos de capacitação que os levem a um futuro profissional nos mais diferentes segmentos do mercado da cultura. Em 2012, 43 destes meninos e meninos foram aprovados em vestibulares de universidades públicas federais, 14 no curso de Música, 04 em Licenciatura Plena em Artes, 03 no curso de Teatro, 07 em História, 11 em Letras e Literatura, 02 em Serviço Social, 02 em Matemática, e muitos outros em cursos de escolas técnicas federais, principalmente para produção cultural e turismo. nomia da UNIVALI, sendo responsável pela disciplina Culinária da Amazônia. No final do ano, pré-lançou em Balneário Camboriú o Festival Amazônia África Brasil com seus alunos, os quais foram em excursão gastronômica com o Chef para o Estado Pará, onde além de conhecerem alguns dos mistérios desta culinária, também realizaram, sob os cuidados do Chef, o lançamento do Festival mencionado anteriormente. Em outubro de 2008 foi uma das principais atrações do evento internacional do Slow Food na Itália, o Terra Madre, sendo também escolhido para coordenar o evento nacional do movimento no Brasil.

Em seguida foi para Portugal, onde se apresentou no Douro, no restaurante DOC, em parceria com o Chef Rui Paula promovendo uma fusão entre a culinária da Amazônia e do Douro. Em 2009 destacou-se por realizar o segundo intercâmbio de alunos de gastronomia da UNIVALI, que vindos de Santa Catarina ficaram 15 dias no Pará para conhecerem os segredos da gastronomia local, culminando com a realização de um evento no Parque dos Igarapés.

 

 

Mestre Aurimar das Rabecas

Mestre Aurimar das Rabecas (Aurimar Monteiro de Araújo), hoje falecido, em torno do acolhimento sociocultural, educativo e assistencial de crianças e adolescentes, e, com a valorização da Rabeca, um dos principais bens culturais integrados à manifestação da Marujada de São Benedito de Bragança (PA),

PZZ Tv

 



Revista PZZ

Edição n.21

Copyright © 2015 Editora Resistência. Todos os direitos reservados.

Web Designer Elson Andrey Souza Anjos